quarta-feira, abril 23, 2008

Vai um cafézinho?

Não sou uma pessoa dependente de café, se beber tudo bem e se não beber também não subo pelas paredes. Sei apreciar o café no básico, se está queimado, frio e fraco.

Acho graça ás pessoas que tem de tomar café para acordar, como se aquela pequena chávena contivesse o néctar da vida.

Isto tudo a propósito de uma pequena nota que vinha na Revista Única do Semanário Expresso que passo a citar:

"Café com prenda
Os clientes do Café Peter Jones, na Praça de Londres,
podem agora provar o melhor café do mundo por 63,5 euros a chávena.
A iguaria é feita de grãos ingeridos por um felino, o gato-de Algalia...e defecados pelo mesmo."


É caso para dizer blarghhhh...está tudo louco.

2 comentários:

Kitty Fane disse...

Também não compreendo isso do café. Eu não aprecio de todo café. Mas... confesso que me estou a viciar no volutto da nespresso. :-D

gata disse...

Eu gosto de café, e estou incluída no grupo de pessoas às quais tu achas graça: as que precisam de tomar café para acordar... :-) No meu caso não é bem acordar, é mais para enfrentar o dia de trabalho! E aquele 'shot' de cafeína é a minha dose diária de droga... :-)
Em relação ao café 'expelido' pelo primo... dispenso! Porque é caríssimo, claro! :-)